Início > Analises > GP da Bélgica – Um Kimi Räikkönen como nós o conhecemos

GP da Bélgica – Um Kimi Räikkönen como nós o conhecemos

Kimi rumo à vitória, perseguido constantemente por um surpreendente Giancarlo

Kimi rumo à vitória, perseguido constantemente por um surpreendente Giancarlo

Mais uma vez o GP da Bélgica provou por que é o mais adorado do calendário: sem dúvidas, a prova mais emocionante do ano. Com um grid bem incomum, era natural que algumas surpresas acontecessem. Rubens Barrichello, com um carro muito leve, deveria rasgar atrás dos carros à frente para assumir o terceiro ou segundo lugar, já que era inevitável a futura liderança de Kimi Räikkönen, mas essa previsão acabou não se tornando realidade, quando a Brawn de Rubens entra em anti-stall e o piloto brasileiro cai para último no grid. Parecia que o pior para Rubens tinha se tornado realidade. Kimi aproveitou bem o estacionamento de supermercado que existe na saída da La Source, ultrapassando Trulli e Heidfeld, para logo depois deixar Robert Kubica para trás e posicionar-se atrás de Fisichella. Enquanto isso, alguns pilotos se matavam mais atrás…

O novato Grosjean toca em Jenson Button, que roda a fica parado na caixa de brita, enquanto o outro novato, Jaime Alguersuari, se atrapalha e bate em Hamilton, que vai direto ao encontro da barreira de pneus. O resultado são quatro carros fora da prova e Safety Car na pista. Bom para Rubens, que pode parar para colocar mais combustível e pode correr toda a prova com pneus duros. Rubens estava em último, justamente atrás de Trulli, famoso por ser difícil de ultrapassar, e do Badoer, lento mas armado com KERS. E esse mesmo KERS foi de vital importância, mas para o carro número 4. Quando o Safety Car entrou nos boxes, Fisichella não conseguiu despistar Kimi. O finlandês esboçou um ataque mesmo na freada da La Source, mas com toda sua frieza ele viu que a melhor chance era na Les Combes. Descendo até a Eau Rouge descarregando as baterias do sistema, Raikkonen manteve-se muito perto de Fisico, andando no vácuo da Force India por toda a Eau Rouge e apontando para o lado do italiano na curva Kemmel, pelo lado de fora – foi inevitável. A Ferrari saiu com muito mais velocidade na reta que leva à Les Combes. Kimi assumiu a liderança e parecia que dominaria a prova, como fez em 2007. Mas Fisichella mostrou que não era apenas uma carga leve de combustível que lhe deu a pole position ontem.

Enquanto isso, Rubens Barrichello retomava posições, ultrapassando Jarno Trulli, que estava com problemas nos setores 1 e 3, justo os melhores para se ultrapassar, e Luca Badoer, que não apresentou muita ameaça. Por um tempo, logo depois das primeiras voltas, a corrida ficou entediante, sem nada acontecendo. Kimi abriu perto de dois segundos de vantagem, mas Fisico manteve-se no encalço do finlandês, não deixando-o fugir muito. A briga pela vitória foi, desde o início, somente dos dois, pois Kubica ficava cada vez mais atrás. Parando juntos, nenhum dos pilotos teve vantagem sobre o outro, deixando tudo para se resolver na pista, e Kimi ainda teve sua parada atrapalhada pelo transito de carros que passavam pelo box da Ferrari no momento da saída do finlandês, sendo segurado pelo mecânico até que o caminho estivesse livre. E isto foi exatamente o que o mecânico da Red Bull não se preocupou em fazer na hora de liberar Mark Webber. O australiano saiu na cara de Nick Heidfeld, e por muito pouco não houve um toque dentro dos boxes, o que resultou em um drive through para Mark. Rubens agradeceu.

Ao fim, todas as atenções se voltavam para o trio da frente, Kimi, Fisico e Vettel. Enquanto os dois da frente estavam rigorosamente iguais em questão de tempos, Vettel vinha voando atrás, descontando meio segundo por volta dos dois líderes, mas no fim, nada mudou: Fisico continuou pressionando Kimi até o fim e Vettel teve de se contentar com o terceiro lugar.

Dito isto, alguns pitacos individuais:

Kimi Räikkönen: um ano e 5 meses. Foi esse o tempo que Kimi ficou sem beber sua Mumm do lugar mais alto do pódio. Claramente, Räikkonen é o atual dono de Spa. Nenhum outro piloto guia através das colinas e florestas Ardenas com tanta autoridade como o finlandês. É sua quarta vitória aqui e quase foi a quinta. Os únicos pilotos que venceram mais vezes o mesmo número de vezes do que ele em Spa Francorchamps foram as maiores lendas de suas épocas: Jim Clark (com quatro vitórias), Ayrton Senna (com 5 vitórias) e Michael Schumacher (com 6 trunfos).

Kimi trouxe à Ferrari a tão sonhada e inesperada vitória em 2009, o que com certeza é um alívio para a equipe e para eu também, como fã tanto da Scuderia como do Iceman. Corrida perfeita de um Räikkönen como nós o conhecemos em seu início de carreira. Está de parabéns.

Giancarlo Fisichella: mas foi mesmo Kimi o nome da corrida? Não, com certeza não. Este foi Giancarlo Fisichella, que mostrou por que os veteranos ainda continuam guiando um Fórmula 1. Foi preciso durante toda a corrida, o que tem sido seu hábito desde que entrou na Force India, e manteve-se perto de Kimi o tempo todo, pressionando-o. O objetivo de Vijay para este ano – os primeiros pontos – finalmente foi alcançado depois de tanto “bater na trave”, e não poderia ter sido de um modo mais honroso: com um pódio. Tá, poderia ter sido melhor sim, pois a vitória estava a apenas 9 décimos de distância, mas o segundo lugar está ótimo. Foi um feito para não esquecermos.

Esperem mais da Force India este ano, mas não necessariamente com Giancarlo no cockpit – não seria surpresa se ele substituir o substituto na Ferrari.

Sebastian Vettel: largou mal, mas conseguiu se recuperar e saiu de um fraco 8º lugar para o degrau mais baixo do pódio. Vettel mostrou que o RB5 poderia andar bem em Spa sim, mas não era tão superior como todos imaginavam. Agora ele ultrapassou o companheiro de equipe na tabela e está a 3 pontos de Barrichello e 19 de Button. Sinceramente, duvido que seja campeão, ou mesmo que chegue em segundo lugar, mas continuará sendo uma pedra no sapato da Brawn.

Rubens Barrichello: largada péssima. Está na hora de averiguar se o problema do anti-stall é do carro ou se é erro de Barrichello mesmo. É a terceira vez que acontece esse ano, o que me leva a crer se Barrichello tem sua parcela de culpa nisso. Mas sua corrida de recuperação foi ótima, conseguindo algumas belas ultrapassagens na Les Combes e protagonizando o momento da prova: ultrapassou Mark Webber na Blanchimont por fora! Tem que tem muito “balls” para fazer isso! Creio que além de mim, muitos outros levantaram do sofá quando viram a ultrapassagem de Rubinho.

Mark Webber: vinha bem até ser penalizado com o drive through, o que eu acho uma injustiça. Não com Mark, mas com todos os que tomam punições iguais a essa, mas se a FIA já começou a punir os pilotos assim, que se mantenha assim então. Depois daquilo, praticamente sumiu na prova. Não pontua há duas corridas e suas chances de título estão cada vez mais improváveis.

BMW: do fundo do poço para um quarto e quinto lugares. Não que seja ótimo – era no mínimo a obrigação deles para esta temporada. Não será a redenção dos bávaros, mas dimiui um pouco a vergonha.

Spa Francorchamps: nenhuma outra pista este ano teve tantas ultrapassagens quanto em Spa. Era só ver como os carros se seguiam de perto pela Eau Rouge para perceber que as mudanças de regulamento técnico serviram para alguma coisa, mas o que não ajuda são as pistas! Abandonem os Tilkedromos e criam mais pistas como Spa já, onde mesmo sem chuva temos corridas emocionantes.

O campeonato continua aberto, mas Jenson Button agredece pelo sexto vencedor diferente nas últimas 6 corridas. Enquanto isso, aguardamos anciosamente o Grande Prêmio da Itália, no outro templo do automobilismo mindial…

Logo mais à tarde as estatísticas, e abaixo, o resultado da prova.

RESULTADO DA PROVA:

Driver Team Time
1st Kimi Räikkönen Ferrari 1:23:50.995
2nd Giancarlo Fisichella Force India Mercedes (+)0.9
3rd Sebastian Vettel Red Bull Renault (+)3.8
4th Robert Kubica BMW Sauber (+)9.9
5th Nick Heidfeld BMW Sauber (+)11.2
6th Heikki Kovalainen McLaren Mercedes (+)32.7
7th Rubens Barrichello Brawn Mercedes (+)35.4
8th Nico Rosberg Williams Toyota (+)36.2
9th Mark Webber Red Bull Renault (+)36.9
10th Timo Glock Toyota (+)41.4
11th Adrian Sutil Force India Mercedes (+)42.6
12th Sebastien Buemi STR Ferrari (+)46.1
13th Kazuki Nakajima Williams Toyota (+)54.2
14th Luca Badoer Ferrari (+)88.1
15th Fernando Alonso Renault Out
16th Jarno Trulli Toyota Out
17th Jenson Button Brawn Mercedes Out
18th Romain Grosjean Renault Out
19th Lewis Hamilton McLaren Mercedes Out
20th Jaime Alguersuari STR Ferrari Out
Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: